Internacional

Cristão se torna doador vivo de órgão para salvar a vida de uma estranha

Um gesto impressionante de solidariedade chamou atenção do mundo esses dias, após um homem resolver se transformar em um doador vivo de órgão para salvar à vida de uma mulher que ele nunca viu em sua vida, isto é, uma completa desconhecida.

Breana Shaw sofria de uma doença hepática terminal. Ela não teria outro destino, senão à morte, caso um doador anônimo (vivo ou morto) aparecesse para doar um fígado para ela, pois até então a mulher de 30 anos não havia encontrado ninguém compatível para a realização do transplante.

Tudo mudo com a chegada de Damian Delaney, de 57 anos. Ele apareceu no hospital em dezembro do ano passado dizendo que estava disposto à doar parte do seu fígado para Breana. Felizmente, Damian era plenamente compatível para fazer o transplante.

O transplante de fígado foi realizado no Hospital Keck, em Los Angeles, já em março desse ano. Breana disse que não esperava encontrar pessoas vivas no mundo com tal capacidade de solidariedade, visto que ser um doador vivo, e para alguém desconhecido, é algo extremamente raro. Para ela, Damian agora faz parte da sua família.

“Eu realmente não achei que houvesse pessoas no mundo como ele, mas lá está ele. Eu me sinto muito abençoada por tê-lo conhecido”, disse ela, após se encontrar com Damian pela primeira vez, após a realização do transplante.

Amor cristão

A fonte que fez gerar o gesto de solidariedade de Damian para com Breana não poderia ser outra, senão o amor cristão como reflexo de Jesus Cristo na vida do homem de 57 anos. Sua atitude confirma o que o maior apologista cristão do século XX, C. S. Lewis, chamou, em outras palavras, de “doutrina da moral objetiva”.

Para Lewis, na obra A Abolição do Homem, todo ser humano sabe por natureza o que é o “bem” e o “mal”, ou “certo” e “errado”, de forma tal que essa é a fonte de toda à moralidade e ética humanas, sendo essa uma das evidências racionais acerca da criação divina.

Esse conceito desenvolvido por Lewis e comentado pelo geneticista Francis Collins, na obra “A Linguagem de Deus”, contraria os argumentos dos céticos quanto à Teoria da Evolução, revelando que o gesto de amor e solidariedade para com o próximo parte, na verdade, do Espírito Santo de Deus e não de uma aquisição culturalmente herdada.

“Sempre fui uma pessoa de fé e sempre fui grato por Deus ter me abençoado com boa saúde”, afirmou Damian, segundo informações do portal San Diego Tribune.

“Quando vi que todo tipo de pessoa estava morrendo com doenças do fígado, isso me tocou. Essa foi a minha oportunidade. Era meu dever como cristão fazer isso por alguém”.

Clique para comentar

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Visualizadas

Topo